top of page
  • luandaeditores

Veterinária orienta tutores sobre como proteger o seu pet de ondas de calor


Foto: Helena Jankovičová Kováčová


A principal recomendação é deixar o anima de estimação sempre em lugar sombreado e disponibilizar água com cubinhos de gelo


Texto: Divulgação/Bioclin Vet


Animais de estimação, assim como os humanos, sofrem com as ondas de calor extremo. As elevadas temperaturas exigem cuidados especiais dos tutores e atenção redobrada à saúde do pet.


A médica veterinária Camila Eckstein, responsável técnica da Bioclin Vet, uma das principais empresas da América Latina em produção de insumos para diagnóstico animal, pontua algumas sugestões para mitigar e amenizar os transtornos causados pelo calor intenso.


“No período muito quente, o tutor deve manter o pet sempre em local arejado, sombreado e com circulação de ar, e água fresca com cubinhos de gelo”, recomenda a veterinária. Quanto aos passeios diários com os animais de estimação, a veterinária aconselha evitar sair nos momentos mais quentes do dia. "A exposição prolongada ao calor pode resultar em lesões graves e queimaduras nas almofadas (coxins) das patas dos cães devido ao contato com superfícies quentes. Qualquer sinal de desconforto, o tutor deve procurar o veterinário imediatamente”, observa.


Para refrescar os pets mais peludos, a veterinária sugere atenção do tutor com a cobertura de pelos muito intensa. “As raças com abundancia de pelagens são intensamente afetadas pelo calor. Caso o animal apresente uma respiração dificultada, uma respiração mais rápida ou demonstre desconforto intenso, o tutor deve procurar um médico veterinário para evitar a ocorrência de hipertermia (elevação da temperatura corporal)”, alerta Camila.


A tosa é uma opção válida para refrescar os pets mais peludos, porém, deve ser realizada com cuidado, principalmente, em algumas raças com pelos longos que já desenvolveram adaptações ao clima quente e a retirada excessiva dos pelos pode afetar seus mecanismos naturais de regulação térmica.

“Dar banho no seu cãozinho também é uma boa ideia. Mas, fique sempre atento ao procedimento de secagem, que deve ser realizado com cautela para evitar problemas de pele decorrente de umidade”, pontua.


A veterinária ressalta que filhotes e animais idosos têm menor tolerância a altas temperaturas. “Tenham cuidados redobrados para o fornecimento de água e manutenção do ambiente fresco”.


Por fim, Camila enfatiza que em casos de dúvida sobre os procedimentos a serem adotas nos casos de calor intenso, o tutor deve sempre procurar a orientação de um médico veterinário. "A prevenção é sempre a melhor forma de cuidado", frisa.

bottom of page