CORONA | EMPLACAMENTOS DE MOTOS CAEM NO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2020

Imagem: Divulgação

A queda nas vendas só não foi maior por conta do aumento na procura de motocicletas para serviços de entregas

Texto: Joelma Farias

Na quinta-feira (2), a Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores) divulgou os números de emplacamentos dos três primeiros meses de 2020.A retração nas vendas já era esperada por causa do período de quarentena, mas foi atenuada com o crescimento da procura de motocicletas para serviços de entrega.

Foram emplacadas 246.832 motocicletas de janeiro a março deste ano, retração de 4,59% na comparação com os três primeiros meses de 2019, quando o total foi de 258.719 motos emplacadas.

Sofrendo impacto direto da pandemia do Coronavírus, que causou a paralisação das Concessionárias de Veículos em todo o Brasil, em função dos decretos de quarentena imposta pelos governos locais, o Setor da Distribuição de Veículos sofreu forte retração nas vendas do mês de março.

Com o fechamento de grande parte do comércio em todas as capitais brasileiras e o Distrito Federal, e com o isolamento social, diversos setores da economia sofreram um apagão e com o das Duas Rodas não foi diferente. Ainda não é possível dimensionar os efeitos que o novo vírus causará ao setor de motocicletas com concessionárias fechadas, fábricas de motos em férias coletivas e redução da oferta de crédito.

Nocaute do setor– Após um longo período de 7 anos de baixa, em 2019 a venda de motos no Brasil voltou a crescer, encerrando uma série negativa no setor que vinha desde 2012.Com a paralisação das atividades, o setor Duas Rodas brasileiro,que vinha numa curva de crescimento e até apresentava números promissores de vendas para 2020, ficou com a performance completamente comprometida.

Ainda não é possível prever como e quando essa pandemia será contida. O que se sabe é que o novo vírus está provocando graves danos não só à saúde humana, mas também econômica. O surgimento do coronavírus SARS-CoV-2, causador da infecção respiratória covid-19, pegou o Brasil e o mundo de surpresa.

Mercado de incertezas

No fim do mês de março, as fabricantes Honda, Yamaha e BMW, com fábricas em Manaus, e que juntas detêm 94% do mercado de motos do Brasil, anunciaram a paralisação da produção de motocicletas em função da pandemia do coronavírus. As atividades na linha de produção nessas três fabricantes serão suspensas até metade de abril.Os funcionários entrarão em férias coletivas, alguns profissionais das áreas administrativas dessas empresasestão trabalhando em regime de home-office.

Medidas para mitigar os efeitos da crise

Entendendo que a paralisação econômica causada pela pandemia deverá provocar forte retração das no Brasil em 2020, a Fenabrave resolveu encaminhar para diversas esferas de governo e instituições financeiras uma série de pedidos de medidas para mitigar os efeitos da severa crise e evitar o colapso do setor.

Entre os pedidos, segundo a entidade alguns já foram atendidos, como a autorização de funcionamento das oficinas das concessionárias em algumas cidades, para a realização de serviços essenciais e de garantia.

Mas ainda há reinvindicações a serem atendidas. A lista de pedidos de medidas já foi encaminhada às autoridades e entidades ligadas ao setor, que muitas vezes são comuns às demandas já apresentadas por outros setores.

Em comunicado, a Fenabrave diz que as concessionárias estarão prontas para voltar a operar quando forem autorizadas, respeitando as recomendações dos órgãos de saúde.

Fonte: Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores)


Top