CUIDADOS ADEQUADOS PARA CÃES DURANTE A QUARENTENA

Imagem: Love Pet Food

Especialista ensina os cuidados que tutores devem ter com seus pets durante o período de isolamento domiciliar

Texto Joelma Farias

Junto com o novo coronavírus vieram também diversas dúvidas sobre a melhor forma de passar por essa quarentena domiciliar na companhia do animal de estimação sem correr o risco de contaminação. O que muitos cuidadores não sabem é que há recomendações simples para reforçar os cuidados nesse período de isolamento domiciliar em consequência da pandemia causada pelo COVID-19.

A veterinária Bruna Rosa, chefe do Instituto Magnus – iniciativa sem fins lucrativos, especializada no treinamento de futuros cães-guia e gerido pela Adimax – indica osprincipais pontos de cuidados com os cães neste período.

Como fica a rotina?

Ainda não existem comprovações cientificas que provam que o novo vírus da família Coronavírus é transmissível entre humanos e animais, por isso a OMS (Organização Mundial de Saúde) e o Conselho Regional de Medicina Veterinária recomendam que os animais fiquem em casa, em quarentena junto com seus tutores. Os cães acostumados a fazer suas necessidades fisiológicas na rua, principalmente por morarem em apartamento e não conseguirem mais mudar o hábito, não precisam ser privados dos passeios. No entanto, as saídas devem ser rápidas e em locais próximos, passando apenas o tempo extremamente necessário fora de casa.

Como deve ser feita a higienização do pet?

Quando necessária a saída com o cão, ao retornar dos passeios, as patas devem ser limpas com água e sabão, ou até mesmo com lenços umedecidos ou álcool em gel próprio para a pele do animal. Diferente dos humanos, os pets não necessitam de banhos constantes pois a água tira a proteção natural da pele. O indicado é que tomem banho em casa, podendo ser no banheiro comum, a cada 15 ou 30 dias. Garanta sempre que o seu animal fique bem seco depois do banho. O pelo e a pele não podem ficar molhados, pois quando ficam úmidos podem desenvolver diversas dermatites e outros tipos de doença. Tire todo excesso da água com uma toalha e finalize com o secador comum, lembrando que é preciso tomar muito cuidado com o calor e a aproximação.

A escovação diária, mesmo para os animais de pelo curto, é o suficiente para tirar o sebo em excesso ou sujeiras presas no pelo. Para animais mais peludos, como o Golden Retriever, o talco, aliado à escova, é uma ótima pedida para manter o pet sempre limpo.

Atenção com a alimentação:

Nesta época de quarentena, não é indicado que se mude o alimento que normalmente oferece ao pet. Entretanto, os cães acostumados com intensa atividade física podem começar a apresentar ganho de peso neste período de isolamento. Se isso acontecer, entre em contato com o médico veterinário do pet para ter uma melhor orientação sobre redução ou até mesmo a introdução de uma alimentação light para manter o peso ideal, assim, o seu animal fica sempre saudável. Se questione sobre a frequência de petiscos que você dá ao seu cão, isso pode estar fazendo a diferença na quantidade de calorias consumidas.

Cuidados especiais com um novo amigo

Não por acaso que o cão é conhecido como o melhor amigo do homem. Além de ajudar a passar o tempo, também é muito importante no suporte emocional, por isso, muitas pessoas adotam um pet filhote ou adulto por conta do isolamento, mas as atenções devem ser redobradas.

Assim como com os humanos, a preocupação com a vacina dos cães deve redobrar neste período, pois com tanta informação externa e distrações podemos acabar esquecendo. Existem várias doenças que podem acometer os pets por falta de vacina e o tutor pode trazer da rua vírus de outros animais. O ideal é que a pessoa que tenha saído, adote os mesmos cuidados que já deve adotar na atual situação: ao chegar no ambiente que o animal fica, tire os sapatos e troque de roupa, caso a vacina do cão não esteja em dia. Neste caso, para evitar também outras doenças.

Vale ressaltar também que, diferente do Coronavírus canino, algumas doenças podem passar do animal para as pessoas (as chamadas zoonoses), como a raiva e a leishmaniose, mas nenhuma delas é por contato direto, ou seja, o simples fato de encostar ou abraçar o cachorro não transmite a enfermidade. Com a carteirinha de vacinação e a vermifugação em dia, além dos remédios contra pulga e carrapato, mantemos a saúde do animal e, consequentemente, a nossa também.

Os pets são ótimos aliados nesta época de quarentena, proporcionando apoio emocional e psicológico, além de ajudar nos exercícios físicos durante as brincadeiras em casa.

Animais podem contrair ou transmitir o novo coronavírus?

Cães e gatos podem contrair um coronavírus próprio de suas espécies, mas não transmite para seres humanos. Não há evidências científicas sobre esse tipo de contaminação.

No reino animal, o registro feito até o momento é de uma tigresa malaia de nome Nadia. Com 4 anos de idade, o animal que vive no Zoológico do Bronx, em Nova York, testou positivo para Covid-19 após desenvolver tosse seca, espirros e perda de apetite. O animal convivia com outros seis tigres e leões que também ficaram doentes, mas apenas ela teve resultado positivo.

Especialistas acreditam que Nadia tenha sido contaminada através do contato com um funcionário do zoológico que tinha a doença, mas ainda não apresentava os sintomas. Isso confirma que humanos infectados podem passar o vírus para animais, se houver um contato muito próximo entre ambos, mas não o contrário.

Fonte: Instituto Magnus
www.institutomagnus.org



Top