BICICLETAS CONTRA O VÍRUS: A IDEIA FRANCESA PÓS-CONFINAMENTO

Governo libera pacote milionário de incentivo ao ciclismo na esperança de esvaziar trens, metrôs e ônibus após o fim da quarentena

BICICLETAS CONTRA O VÍRUS A IDEIA FRANCESA PÓS-CONFINAMENTO

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Jornal Nexo

João Paulo Charleaux

30 de abr de 2020 (atualizado 01/05/2020 às 11h07)

 

Depois de apostar uma corrida contra o alastramento do coronavírus, as autoridades francesas entraram numa nova disputa. O desafio agora é correr contra o tempo para que a população, ao sair do confinamento, troque o transporte público coletivo por bicicletas.

Quanto mais franceses optarem por mover-se em duas rodas, menor será a aglomeração dentro dos ônibus – que, em muitas cidades francesas, como Paris, não têm sequer janelas para serem abertas, mas apenas pequenos vitrôs basculantes de ventilação.

O mesmo vale para o gigantesco emaranhado de linhas e estações que compõem o metrô parisiense, um dos mais antigos e maiores do mundo, composto por 16 diferentes linhas e 300 estações que se estendem ao longo de mais de 200 km.

A aglomeração e a pouca ventilação no transporte público favorecem a disseminação do vírus. Com o retorno gradual do funcionamento de parte da indústria e do comércio, e com a reabertura parcial de escolas e creches, o fluxo de passageiros no sistema de transporte voltará a crescer e, com ele, o risco de contágio. Daí a preocupação em criar alternativas que favoreçam o distanciamento social.

Dinheiro para os ciclistas

Para incentivar os franceses a usarem suas bicicletas no período de desconfinamento, o governo decidiu criar um fundo de 20 milhões de euros, o que equivale a aproximadamente R$ 116 milhões.

É desse fundo que sairá uma ajuda individual única de 50 euros por pessoa, equivalente a R$ 290, para quem quiser financiar reparos de freios, pneus e luzes em suas bicicletas. O governo está, na prática, pagando para que os franceses pedalem.

A iniciativa é encabeçada pelo Ministério da Transição Ecológica e Solidária da França. A pasta, chefiada por Elisabeth Borne, ganhou relevância no governo Macron, que encontrou no nicho verde uma bandeira e um ponto de contato com movimentos mais à esquerda, que reivindicam mudanças profundas contra a mudança climática.

Para incentivar o aumento de ciclistas nas ruas, o governo anunciou a instalação de ciclofaixas temporárias adicionais nas grandes cidades, além da ampliação dos locais de estacionamento seguro de bicicletas. A ministra Borne defende ainda que os trabalhadores que fazem o deslocamento entre os locais de residência e de trabalho em bicicleta recebam uma gratificação de 400 euros por ano.

Os interessados são orientados a fazer um cadastro na FUB (Federação Francesa de Usuários de Bicicleta), uma organização sem fins lucrativos que trabalha em parceria com o governo.

Contra os carros em Paris

Além de diminuir a lotação do transporte público, o uso de bicicletas tem uma segunda intenção: redução também o uso dos carros. Em cidades como Paris, o trânsito na área central é complicado e tende a piorar à medida que muitos moradores deem preferência a transportes individuais depois do confinamento.

O governo apela para o fato de que 60% dos trajetos feitos cotidianamente na região metropolitana de Paris são de menos de cinco quilômetros, o que não justifica o uso do automóvel. Entretanto, muitos podem ver em seus carros uma bolha de proteção.

30 milhões. Esse é o número de bicicletas que existem na França para uma população de quase 67 milhões de pessoas.

Os que defendem o uso das bicicletas em vez dos carros argumentam que as bicicletas transportam entre quatro e cinco vezes mais pessoas do que um carro, ocupando o mesmo espaço. As vias para uso ciclístico permitem o trânsito do dobro de pessoas em relação às vias exclusivas para carros em horários de pico em Paris.

A batalha de argumentos e a disputa por recursos já vinha sendo parte do ambiente de disputa política na França antes da eclosão da pandemia. A atual prefeita da capital francesa, Anne Hidalgo, do Partido Socialista, é uma fervorosa militante das bicicletas.

Fonte: Jornal Nexo

Site: www.nexojornal.com.br

Leia o conteúdo na íntegra através do link: https://www.nexojornal.com.br/expresso/2020/04/30/Bicicletas-contra-o-v%C3%ADrus-a-ideia-francesa-p%C3%B3s-confinamento  

 

Top