FURACÃO PET | O mercado brasileiro ficou pequeno para fabricante de acessórios

Hugo Fernando Martins, jovem empreendedor formado em direito e com larga experiência no segmento pet, está à frente das atividades da Furacão Pet desde 2012 e vem incrementado a participação da empresa tanto nos limites nacionais quanto em mercados internacionais

Após encerrar a sua empresa, uma distribuidora de rações, Hugo convenceu o seu tio, também participante do segmento, a adquirir parte da Furacão Pet, uma fábrica de acessórios para animais de estimação com sede na cidade de São Carlos, no interior paulista. Na época, a empresa tinha uma linha de 150 produtos no portfólio e quinze profissionais no quadro de funcionários.
Tio e sobrinho fizeram aportes de aproximadamente 2,5 milhões de reais na empresa e aumentaram o número de produtos ofertados para um mix de 800 itens. Também o número de colaboradores foi ampliado. Hoje são 100.
Tornaram-se os maiores fabricantes de acessórios e brinquedos maciços injetados no Brasil e desenvolvem todos os produtos internamente com maquinário de última geração, e colocam no mercado peças com qualidade superior. Assim alcançaram a liderança no mercado nacional e já participam do mercado internacional, tendo seus produtos disponibilizados em 14 países.
Porém, o dinâmico executivo ainda pretende ir além e planeja expandir a marca também no mercado internacional. Para isso desenvolve ações estratégicas, como exibir os seus produtos em eventos fora do país.
Ouvimos Hugo Fernando Martins discorrer sobre a experiência de participar das mais tradicionais feiras internacionais destinadas ao segmento pet, e sua avaliação de resultados. Além da invevitável comparação com o perfil de comportamento do público em eventos nacionais, ressaltando o ambiente de confraternização e descontração próprio dos brasileiros.

Pet: Quais as feiras internacionais que a Furacão Pet já participou?
Hugo: Já participamos da Zoomark em Bolonha-Itália, da Interzoo em Nuremberg-Alemanha, da Global Pet em Orlando-EUA e da Superzoo em Las Vegas-EUA.

Uma única vez ou retornou em várias oportunidades?
Retornamos em todas as edições nos últimos sete anos.

Qual o objetivo dessas participações internacionais? Divulgação institucional da marca, realização de negócios ou a simples formação de parcerias?
Nosso objetivo está focado na abertura de novos mercados, internacionalização da marca, realização de novos negócios com distribuidores.

Existe uma equipe na empresa específica para atuar nestes eventos?
Sim. Temos um departamento dedicado somente para vendas em outros países. Nossa equipe de comércio exterior atua de forma dedicada a esse mercado, dando toda a atenção necessária aos nossos parceiros.

Qual a estrutura necessária para atender os clientes fora do Brasil?
Temos também alguns escritórios de representação que atuam com a nossa marca em determinados países e clientes.

As ferramentas disponíveis nos sistemas da internet colaboram nos contatos pré e pós- eventos?
Sim. Como já participamos de diversos eventos já temos uma carteira enorme de contatos e sempre enviamos convites para os nossos clientes e amigos. Em relação à busca de novas parcerias também fazemos muitas pesquisas em sites de busca em determinados países ou regiões.

Qual dos eventos trouxe resultados mais efetivos?
As feiras nacionais nos dão bom retorno, porém as feiras no exterior nos proporcionam uma grande gama de contatos. Recentemente a Global Pet nos deu a oportunidade de abrir quatro novos clientes.

Qual a diferença fundamental oferecida nos eventos internacionais em comparação aos nacionais que facilitam as operações para a realização de negócios?
Percebemos que os eventos internacionais são mais focados em fazer negócios, enquanto que nas feiras nacionais há uma mescla de negócios com a oportunidade de revermos nossos parceiros e amigos.

Como as empresas estrangeiras reagem à oferta de produtos brasileiros? É difícil conquistar a confiança deles em relação a qualidade, preços, prazos de entrega, etc?
No mercado nacional nossa marca é líder e fica muito mais difícil marcas estrangeiras entrarem no Brasil pelo preço alto do dólar e pelas taxas e impostos de importação. Já nos mercados externos existe uma grande concorrência com os produtos vindos da China. Temos que apresentar um mix variado de produtos com qualidade e preços competitivos. Nosso diferencial é a facilidade de comunicação com os países da América, produtos a pronta entrega e agilidade nos processos.

O que determina a opção pela oferta da Furacão Pet em comparação aos produtores da Europa, China, Japão, Coreia e Índia, por exemplo?
Prezamos muito pela qualidade dos nossos produtos e com a imagem da nossa marca no Brasil e no exterior. Procuramos oferecer o que tem de melhor no mercado global para fidelizarmos os nossos clientes.

O quanto representa percentualmente o volume de negócios já consolidados por conta da participação nestes eventos?
As feiras de negócios ajudam bastante na divulgação da marca e na abertura de novos parceiros. Atualmente, nossa exportação representa de 4% a 5% ao ano.

Em função destas aparições internacionais seus objetivos definidos de exportações foram alcançados?
Nossos objetivos foram alcançados nos anos de 2017 e 2018, porém em 2019 ainda estamos um pouco abaixo do esperado.

Petmagazine ed 115

Top