GASTRITE EM CÃES: COMO TRATAR?

Apesar de não ser uma doença grave, gastrite exige cuidados apropriados para garantir a saúde e bem-estar do pet

Algumas doenças são comuns entre os humanos e os animais, sendo a gastrite uma dessas ocorrências. Se você já teve o problema, sabe o quanto é desconfortável, sendo importante observar o animal para identificar a condição e encaminhar o pet para o tratamento adequado.
A seguir, saiba quais são as causas da gastrite e como identificá-la nos animais, encaminhando o tratamento correto para cada situação.

Quais as causas e sintomas da gastrite em cães?
A gastrite consiste em uma inflamação das paredes do estômago do pet. Ela pode ser causada por diferentes motivos, como:
Ingestão de medicamentos;
Intolerância alimentar;
Alergia;
Ingestão de alimentos estragados;
Ingestão de produtos tóxicos, sejam químicos ou plantas tóxicas;
Câncer no estômago;
Pancreatite;
Doença inflamatória no intestino;
Vírus, parasitas e bactérias;
Estresse causado pelo afastamento prolongado do dono ou a chegada de um novo pet na casa, por exemplo.

Devido às diversas causas que podem estar associadas ao surgimento da gastrite no pet é imprescindível que um veterinário seja consultado para realizar o diagnóstico correto e encaminhar o animal para o tratamento mais adequado de acordo com o quadro clínico dele.

Uma vez que o pet não tem muitas maneiras de revelar ao tutor o mal-estar que tem sentido, é fundamental observar os sintomas e o comportamento dele. Caso sejam identificadas deve-se procurar um veterinário com as informações corretas sobre os indícios apresentados pelo pet. Entre eles estão:
Perda de apetite;
Vômito com ou sem presença de sangue;
Diarreia;
Perda de peso;
Apatia;
Fraqueza;
Dor abdominal.
Caso o animal apresente esses sintomas, ele deve ser encaminhado imediatamente para um veterinário, pois se não for realizado o tratamento correto o quadro pode ser agravado e causar anemia e desidratação devido à falta de água e comida no organismo.

Também é importante que os donos tenham consciência que algumas raças são mais predispostas a apresentarem a gastrite canina. Os animais pequenos, miniaturas ou braquicéfalos são os mais afetados pelo distúrbio. Entre as raças que os tutores devem ficar mais atentos estão:
Bulldog;
Maltês;
Shih Tzu;
Lhasa Apso.
O tratamento da gastrite depende do tipo da patologia, sendo que a consulta com o veterinário é importante justamente para que seja realizado o diagnóstico correto.

Quais os tipos de gastrite existentes?
Existem diversos tipos de gastrite que são divididos de acordo com as causas relacionadas ao surgimento da patologia, gravidade da ocorrência, chances de tratamento, entre outras questões. Os principais tipos são:

Gastrite crônica
A gastrite crônica ocorre devido a outras doenças que afetam o estômago do animal. Ela é dividida em subtipos como gastrite superficial crônica, atrófica crônica, hipertrófica crônica e eosinofílica.
Devido ser crônica, esse tipo da doença não apresenta cura, podendo apenas ser controlada para que o animal mantenha a qualidade de vida.

Gastrite aguda
A gastrite aguda é provocada devido a problemas na alimentação do pet, como quando ele ingere alimentos tóxicos, causando danos, por vezes irreversíveis, na mucosa gástrica.

Gastrite hemorrágica
A gastrite hemorrágica está relacionada com o tipo da doença que pode provocar sangramento no vômito ou fezes do animal devido ao mau funcionamento do trato intestinal.
Entre as doenças que podem provocar essa condição estão: parvovirose, hepatite infecciosa, coronavirose, cinomose e enfermidades parasitárias.

Gastrite eosinofílica
As causas da gastrite eosinofílica não são totalmente conhecidas, mas suspeita-se que ela esteja relacionada com uma hipersensibilidade alimentar ou infestação de parasitas como Ancylostoma caninum, Ascaris lumbricoides, Trichuris trichiura e Toxocara canis.

Gastrite nervosa
Como afirmado, situações estressantes como ficar um período muito longo distante dos tutores ou ter um novo pet na residência podem causar gastrite nervosa no animal.
Nesses casos, a retomada da rotina ou o costume com a nova situação podem melhorar o estado clínico do animal, mas outros cuidados podem ser necessários para tratá-lo.

Como tratar e prevenir a gastrite em cães?
O tratamento da gastrite em cães pode variar de acordo com a causa identificada pelo veterinário e pelo tempo de evolução da doença. O primeiro passo para o tratamento é eliminar a causa, seja o estresse, má alimentação, parasitas ou outros.

O veterinário cuidará para evitar os vômitos e proteger a mucosa gástrica do animal para que ela possa recompor-se. Desta forma, um dos tratamentos da gastrite envolve uma dieta equilibrada, normalmente com ração hipoalergênica e que seja de fácil digestão.

Dependendo do quadro, o veterinário pode prescrever anti-inflamatórios, mas esses só podem ser administrados se indicado pelo profissional.

Em geral, o animal deverá passar por uma mudança alimentar com foco em uma ração que seja rica em nutrientes e forneça as proteínas necessárias. As porções de refeição devem ser pequenas e oferecidas de duas a três vezes por dia, sempre nos horários determinados.

Uma forma de prevenir que o animal tenha gastrite é manter uma alimentação rica e apropriada, sem deixá-lo mexer em lixos e restos de alimentos. A visita periódica ao veterinário também é importante para garantir a vacinação e os exames necessários para verificar o quadro clínico do cachorro.

Caso identifique qualquer dos sintomas citados anteriormente, deve-se encaminhar o cão imediatamente para um veterinário 24h para realizar o diagnóstico. Apesar de ser controlada, a gastrite é uma condição incômoda e que prejudica a qualidade de vida do pet.

Petmagazine ed 113

Top