Artigo Leo: AGILIDADE

leocinesiCom o advento da tecnologia à mão e informação praticamente em tempo real, fica difícil não atender a demanda de seus clientes na velocidade que “eles”querem/precisam.
Sabemos das dificuldades em questões logísticas e principalmente, do peso que tem para um negócio em manter mercadoria sem “girar” em seu estabelecimento. Mas, por que não ouvir seus clientes? É por isso que o tema desta edição é tão fascinante!
E… Como ser mais ágil? Como ter essa agilidade?
Não é à toa que este assunto foi muito debatido no Oracle OpenWorld Brasil 2018, que reuniu 18 mil profissionais, especialistas e parceiros da Oracle para discutirem tendências em tecnologia no mundo dos negócios.
É óbvio que a agilidade é fundamental, o difícil é aplicar na prática este conceito!
Agora, apontaremos 3 perguntinhas simples que podem contribuir para que seu negócio  evolua e tenha mais agilidade:
1. O que seu cliente quer?
2. Como ele quer comprar?
3. Pra quando ele precisa?

O que ele quer?
Se sua empresa já consegue responder isso com clareza, é um passo gigante na frente dos demais, pois estas 3 questõezinhas derrubam muitos dos empreendedores atuais.
Tem muita coisa importante por trás destas respostas! É preciso entender que seu cliente passa de ser um “exigente” (antigamente classificado como chato) para um cliente habitual (ou seja, todos…) pois o nível de percepção (e informação) transformou os moldes da aquisição de qualquer coisa fazendo com que todos estejam mais ou menos na mesma sintonia no que tange à consumo.

Algumas vezes nos deparamos com uma solicitação de algum produto que não temos em nosso estabelecimento e o caminho imediato é o oferecimento de uma alternativa (similar) ao desejoso cliente. É… Não funciona mais tão bem, esta estratégia!

Hoje em dia, uma resposta mais transparente engaja mais seus clientes do que uma “alternativa similar” no imediatismo.

Um cliente consegue entender que não dá para se ter tudo à mão, e valoriza, intrinsecamente, o esforço e a atenção quando o estabelecimento oferece uma sugestão real e transparente, como por exemplo, respondendo com um simples: “Posso tentar com meus fornecedores. Gostaria de deixar seu whatsapp e eu te aviso assim que conseguir?”
Daí, em diante, o vínculo se fortalece e, em casos não emergenciais, como os de reposições, o cliente prefere mentalmente alguém se preocupa em o auxiliar do que em simplesmente vender, vender, vender…

Como ele prefere comprar?
O conceito de omnichannel (ver fonte) amplamente difundido já comprova que o cliente simplesmente compra pelo canal que preferir, e isso não faz do canal utilizado em uma compra, o canal predileto dele. A conveniência do canal está atrelada ao momento do comprador. Por isso deve-se preocupar em estar em todos os canais de venda com uma proposta sólida e convergente.

Hoje ele passou perto do seu estabelecimento e por isso parou e comprou, Amanhã, ele está em casa e lembra que precisa de algo e vai na internet em busca de sua compra ideal.
Se você estiver nos principais canais, certamente o cliente buscará por você.

Pra quando ele precisa?
Adianta muito se você conseguir gerir uma carteira onde você consiga se antecipar e oferecer o que seu cliente precisa, de acordo com o hábito de compra dele.

Agora, imagina só um cliente que mantém relacionamento com você todo mês e sempre compra algo, você, desatento (ou sem um sistema de gestão) lembra dele, sabe que ele sempre vem, sabe que sempre compra, mas, não lembra muito bem o que ele compra exatamente… No dia que ele vier e não tiver o que ele precisa, para quando ele precisa, fatalmente buscará um outro alguém que tenha (aí, ele aceitaria até um similar, viu?!? Mas não seu!), e, certamente este outro poderá conquistar sua confiança se fizer melhor o que você não está fazendo.

IMPORTANTE: Ter agilidade não significa ter tudo! É muito mais ter a disposição em atender do que efetivamente ter tudo. A tecnologia te ajuda a ser mais transparente, a ter maior agilidade principalmente na resposta. Não tem nada mais devastador do que não responder a um cliente! É desistência no ato. Grandes empresas se reinventam a cada dia. Siga estes exemplos. Seja disruptivo com seu negócio!

Lembra da premissa da última edição da nossa coluna?
É necessário mudar!
Precisa rever seus custos, entender seus investimentos, provocar inovações e colher os benefícios da grande mudança. Veja cases de sucesso de empresas mesmo que sejam de outros segmentos. Perceba como mudar hábitos pequenos trazem consideráveis resultados na visão de longo prazo.

Bem… Mas nem tudo está perdido, não é mesmo?

Basta se organizar! Perceber as nuances. Ouvir seus clientes. Entendê-los. Estudá-los.

Se antecipe! Traga novidades, saia sempre na frente!

Tenha sempre alternativas e planos “b”. Coloque mais tecnologia em seu negócio para facilitar os fluxos que podem ser automatizáveis. Capacite e tente influenciar seus colaboradores com ferramentas digitais para auxiliarem nas vendas, processos, apresentações inovadoras.

O mundo não dá trégua para amadores! Inove-se… Não envelheça com o seu negócio!

Como já falamos anteriormente, é bem fácil encontrar ferramentas aos montes pela internet.

Vale a busca! Se precisar de uma ajuda, basta me chamar pelo leo@4vets.com.br

Motomagazine ed 112 | Jan. Fev /2019

Top