2º Salão Baiano Motopeças | Evento para impulsionar O consumo regional

A edição de 2019 do “Salão Baiano de motopeças Motomagazine” reúne importantes desenvolvedores de negócios na cidade de Feira de Santana. O evento deverá atrair MAIOR nÚmero de participantes POR CONTA Das expectativas otimistas geradas pelas mudanças que se esperam sejam concretizadas na nova gestão do país e da natural capacidade de consumo da região

A Bahia não é só Salvador, mesmo sendo bela a capital soteropolitana repleta de encantos, com suas igrejas, sincretismo, festas religiosas e carnavalescas, uma das principais atrações do Estado. Os sons das músicas que embalam a euforia de blocos e os sucessos dos compositores baianos, se espalham pelo país e pelo mundo, assim como a fama de sua inconfundível culinária influenciada por temperos afros. A primeira capital do Brasil também é um importante polo no consumo de motos e moto peças.

No entanto, o interior do estado também é representado por regiões comerciais que significam percentuais relevantes para o comércio do veículo, suas peças e acessórios, impulsionados pelas tradicionais plantações de cacau, feijão, coco, banana, mamão, manga, maracujá, entre outras, já consolidadas e no cultivo de soja, mais recentemente. Somando-se a todas essas a já desenvolvida produção leiteira.

O turismo, principalmente na Chapada Diamantina e no extenso litoral, também traz dividendos importantes para a sua economia.  Além de contar com expressivo número de indústrias que se instalaram por seus municípios e distritos industriais, como o de Camaçari. As cidades de Vitória da Conquista, Feira de Santana, Teixeira de Freitas, Guanambi, Barreiras Juazeiro e Paulo Afonso, são polos que atraem clientes além de seus limites em função de suas privilegiadas localizações, redes de distribuição bem estruturadas e boas estradas para o escoamento da produção. A Bahia é um mercado grande, bem disperso entre grandes cidades urbanas e pequenas vilas rurais, é um dos maiores estados do Brasil e o maior do Nordeste com a mais importante economia regional.

“A existência de particularidades como mototáxi na maioria das cidades, clima ameno propício, bons e capitalizados atacadistas e varejistas, ajudaram a manter o crescimento neste mercado”, opina José Meireles Ponte, diretor da ACD Representações.

Assim, os negócios no segmento de motos e moto peças seguem céleres, oferecendo produtos nacionais e importados para suprir as demandas de seus inúmeros pontos de venda. Competente rede de distribuidores, com os serviços prestados por seus representantes de vendas, cobertura online proporcionada por instalações de modernos sistemas de e-commerce e telemarketing, sem dispensar o velho e eficiente ‘tête-à-tête’, o bom cafezinho compartilhado com os clientes que se transformaram em amigos. Varejistas tradicionais e novos empreendedores, com lojas que  oferecem ao consumidor final excelente variedade de produtos.

Para incrementar as relações deste mercado, nos dias 15 e 16 de fevereiro, na cidade de Feira de Santana, acontecerá o “2º Salão Baiano de Motopeças Motomagazine”, nas dependências do Ville Gourmet. Nele estarão expostas toda a gama de itens produzidos pela indústria nacional e internacional de moto peças e acessórios.
Profissionais que atuam como representantes de vendas e emprestaram o seu importante apoio para realização de mais esta edição do evento, colocam suas opiniões sobre a situação atual do mercado e suas expectativas para este período que está se iniciando.

De forma geral, estão bastante otimistas quanto ao comportamento do mercado para este ano, já que a tendência evidenciada é de crescimento mesmo quando houve alguma baixa no consumo no triênio (2014, 2015 e 2016), apresentando leve recuperação em 2017. No ano passado, 2018, as curvas dos índices apresentaram viés de alta.

Deivison Junior da Silva Santos da S&A Representações está entre aqueles que estão acreditando nas alternativas de mudanças drásticas na economia e que deverão requalificar o comportamento do mercado. “As perspectivas são as melhores, estamos investindo e apostando no mercado diante das mudanças econômicas e políticas que despontam em nosso país.”  Classificando o mercado como ‘intenso’, Deivison vê a zona rural com a mesma participação no volume de vendas que acontecem no interior.  “As duas zonas tem seu potencial, hoje não temos como definir qual a maior participação, uma vez que a motocicleta está presente de forma crescente nas duas áreas.”

Múcio Fernando Maciel da Majocart Representações, afirma que espera crescimento de no mínimo 20%, em relação ao ano passado, e considera as regiões urbanas como de maior potencial de vendas e pondera  que a crise econômica nacional, é o principal motivo deste comportamento.

Deivison, porém, coloca o fenômeno da atividade mototáxi e a facilidade da compra de uma motocicleta, criada da inserção das motos de 50cc no mercado, como fatores primordiais para a boa continuidade dos negócios.  “Isso possibilitou o acesso de pessoas com baixa renda a motocicleta, aquecendo de forma agressiva o mercado”, avalia.
“Os consórcios ainda são a principal opção para a compra de moto zero, e a aquisição de usadas ainda é uma importante forma para manter o giro de moto peças”, lembra Múcio Fernando.

José Meireles Ponte, diretor da empresa ACD Representações, credita o desenvolvimento de parcerias no Estado e superação de possíveis entraves que poderiam atrapalhar a intensidade dos negócios. “O mercado baiano no comparativo de resultados entre 2017 e 2018, apresentou dados muito positivos para a ACD Representações, assim como representante da Protork . Em 2018 colhemos resultados das  parcerias firmadas ao longo destes anos. Mesmo no período que antecedeu as  eleições e provocavam incertezas, tanto na área econômica quanto política.Mas o nosso mercado, até mesmo por esta indefinição, aproveitou-se e cresceu. Acredito que, assim como nós, nossos bons parceiros também cresceram e estão satisfeitos. Prevejo um bom ano de 2019 para todos.”

O representante Iberê Antonio,da Brandão Representações, estima que os resultados de vendas em 2018, tiveram pequeno crescimento em relação a 2017, e como os outros representantes, segue uma linha de otimismo para 2019.

Visualizando os resultados de anos anteriores, Tânia Marcina, da Dona T Representações, uma paulista que se radicou na Bahia, concorda com aquelas que apontaram que o ano de 2018 foi difícil. “Houve muitos fatores que influenciaram para isto, como: Olimpíadas, greve dos caminhoneiros, eleições.  “Com muito empenho tivemos um crescimento tímido com relação a 2017.Neste ano de 2019,  com muita persistência, perseverança e paixão, espero um crescimento com maior expressão.” Os representantes Deivison, Iberê e Múcio, acreditam ter havido significativo aumento no número de pontos de vendas de varejo no Estado. Chegando a mais de 2.500 no total geral atualmente, supõem Múcio. No que concorda  Tânia, não sem  fazer uma pertinente consideração. “Nosso segmento continua sendo alvo de investidores e aventureiros com novos pontos de venda por ser um mercado ainda amador. Os cuidados em abrir novos créditos vão além da liquidez. É preciso avaliar vários fatores para que isso não venha se transformar em problemas no futuro.”

Meireles, por sua vez afirma que todos em sua empresa imprimem saudável esforço para prestar melhor serviço através de treinamento da  equipe e na melhoria da linha de produtos Protork. “Há continua  ampliação do portfólio de produtos, bem como, na qualidade dos mesmos, em respeito aos nossos clientes atacadistas , varejistas e consumidores finais.”

Tânia atende clientes em todas as regiões da Bahia. No entanto, destaca com maiores volumes de vendas para as suas representadas, os clientes localizados nas cidades: Feira de Santana, Vitória da Conquista, Licínio de Almeida, Serrinha, Irecê, Rio Real, Valente, Juazeiro, Ibipitanga, Euclides da Cunha e Eunápolis.”  São 240 clientes entre distribuidores, grandes, médios e pequenos atacados. Grandes e médios lojistas. Atacarejos e concessionárias.
O clima que antecede ao “2º Salão de Motopeças Motomagazine” é de mensurável otimismo pelo sucesso do evento em 2018. Os profissionais representantes de vendas que estão bastante envolvidos na concretização do evento de 2019, acreditam em haverá  participação ainda maior nesta edição. Segundo relataram por ocasião do primeiro evento tanto os distribuidores quanto os varejistas fecharam  bom volume de negócios e  obtiveram sucesso. Acreditam que terão no mínimo o mesmo grau de satisfação, senão muito superior, uma vez que esse evento ajuda a aquecer as vendas no estado.

Motomagazine ed 112 Jan/Fev. 2019

 

Top