História profissional de um empreendedor na região Norte

Marcelo Pereira da Cruz cresceu dentro do segmento duas rodas. Seu pai, Armando Cruz, foi importante empresário no segmento de bicicletas na cidade de São Luiz. Ele seguiu os passos e por 10 anos também atuou como lojista. Depois, a convite, passou a atuar no setor  como preposto da Augusto Representações.
Assim iniciava a historia de sua empresa Marcelo Representações

Em setembro de 2007, Marcelo começou a viajar pelo estado do Maranhão, primeira região que se propôs atender. Em especial, os clientes das cidades Santa Inês e Imperatriz e, logicamente, a capital, São Luiz. São 11 anos de bons trabalhos realizados e como maior prova de reconhecimento, em 2009, recebeu algumas propostas de fábricas de motopeças que ainda não tinham seus produtos comercializados em sua região. Todas ainda estão em seu portfólio, e outras mais foram adicionadas.  Então, ampliou o espaço geográfico de atendimento e passou a viajar também para o Pará, Tocantins e Amapá.
Isto não aconteceu com facilidade. Foram anos de muito trabalho e conquista de credibilidade junto aos clientes e fabricantes e, um longo aperfeiçoamento nas relações com o mercado.
“Enfrentamos concorrência  nem sempre ética das demais empresas de representações. Esta talvez seja a maior dificuldade que enfrentamos para crescermos no mercado. Além do que, dependemos muito das recomendações das empresas que prestamos nossos serviços para obtermos novos contratos em empresas que nos dispomos também atender. Para assegurar a permanência das empresas em nossa carteira, procuramos manter contatos permanentes e interagir por meio de mala diretas e outras vias, como as redes sociais”, ressalta Marcelo.
O empresário destaca que mesmo fazendo uso frequente de várias plataformas de comunicações virtuais, a visita ainda é ponto predominante para a decisão de compra.
“As redes sociais (WhatsApp, Facebook, Instagram) são importantes no dia a dia dos contatos. Elas  agilizam  as negociações.Mas o contato pessoal com os clientes ainda é o melhor caminho para se vender mais. A conversa direta com o cliente, termina em compras, as vezes acima do pretendido”, enfatiza.
A área de representações comerciais é uma atividade imprescindível para o desenvolvimento das empresas produtoras, principalmente, na região norte do país, com as enormes dificuldades de mobilidade e comunicações. Soma-se a situação da economia, que sofre um processo de crise, da qual todos os segmentos estão tentando superar nestes 3 últimos anos.

Pretendo constituir um quadro de colaboradores a fim de garantir maior dinamismo na relação com os clientes e com as fabricas
que represento”

Marcelo Cruz, afirma que ainda assim,  a sua empresa tem ampliado os seus negócios.
“Mesmo atendendo à fabricantes nacionais, a maioria dos produtos que comercializo são importados e dependem do valor do US Dólar,  para terem preços competitivos. Acredito que a médio prazo a economia possa sair, de fato, do fundo do poço e, consequentemente, o comércio interno brasileiro volte a se recuperar”.
Os planos futuros de Marcelo, na gestão da empresa, incluem a constituição de uma equipe de colaboradores.  “Pretendo constituir um quadro de colaboradores a fim de garantir maior dinamismo na relação com os clientes e com as fábricas que represento, promovendo maior celeridade no fechamento dos negócios realizados e superar o desafio sempre me manter atualizado atualizada com as novidades do mercado. O que possibilitará a garantia de permanência no atendimento aos clientes e as nossas representadas, como resultado”, explica.
Com a experiência de quem está envolvido nos meandros do mercado motopeças, Marcelo analisa com otimismo a sua performance futura.“O mercado de motos ao longo desses anos tem sido cada vez mais próspero à medida que é constante a ampliação dos números de proprietários desse meio de transporte. Sendo assim, o consumo e o comércio de produtos e serviços a ele referentes só tendem a aumentar cada vez mais. Para o ano de 2018, por exemplo,  as nossas expectativas são as melhores possíveis, pois, antes do seu final já consegui superar os números de vendas realizados no ano de 2017”.
Para que esta perspectiva seja real, se confirme, o empresário sugere que aconteça a organização de mais eventos que possam garantir a constante divulgação das novidades do mercado de motopeças e maior número de propaganda sobre os produtos do mercado de motopeças.
“As perspectivas de futuro para o ramo de representações só serão garantidas para àqueles que tenham o maior domínio de mercado, o que se adquire somente com investimento no conhecimento dos produtos comercializados, assim como, na capacitação em gestão e organização do trabalho desenvolvido pelo representante”, finaliza categórico Marcelo Cruz.

Texto publicado na edição 110 da motomagazine
Link: clique aqui

Top