Incêndio durante a madrugada consome galpão da Dafra Motos, na Zona Norte de Manaus

incendio_divulgaçao_bombeiros2-626x469[1]

Um incêndio de grandes proporções destruiu na madrugada desta segunda-feira (9) um dos galpões da Dafra Motos, localizada na avenida Torquato Tapajós, bairro Santa Etelvina, Zona Norte de Manaus. Apesar dos prejuízos materiais, ninguém ficou ferido.

As informações são do Corpo de Bombeiros, que confinou o fogo por volta das 6h40 e agora trabalha no rescaldo do sinistro, fazendo resfriamento da área.

Segundo o tenente-coronel Fernando Sérgio Auspregesilo Luz, que comandou a operação, os bombeiros foram chamados por volta de 3h. Cinco minutos depois, a equipe que atua no Batalhão de Choque já estava combatendo as chamas, porém, devido à grande proporção do fogo, tiveram de chamar reforços de outros postos.

O tenente informou que dentro do galpão havia muitas caixas de papelão e paletes de madeira com peças e pneus de motocicletas, material de fácil combustão que proporcionou o rápido alastramento das chamas. Foram utilizados mais de 70 mil litros de água.

“As consequências não foram mais drásticas porque, graças a Deus, não havia ninguém trabalhando no galpão”, comentou.

Ele acrescentou que agora o procedimento é de isolamento da área, com o devido rescaldo e combate a pequenos focos, além do registro do caso pelos dirigentes da empresa na delegacia para que seja solicitada a perícia técnica de incêndio da Polícia Civil.

Ainda segundo o subcomandante do Corpo de Bombeiros, outros dois galpões da fábrica foram preservados do fogo, mas na área de produção houve perda total. Não há estimativa dos prejuízos sofridos pela indústria.

As causas do incêndio devem ser reveladas nos próximos 30 dias com a conclusão da perícia técnica.

Seguro apropriado

Em comunicado à imprensa, a Dafra Motos comemorou o fato de o incêndio não ter deixado vítimas e de não ter afetado setores importantes da fábrica, como linhas ativas de produção, estoque de motocicletas, dados e sistema central de TI. O mesmo não pode ser dito, conforme o documento, das áreas de armazenagem e estoque, onde houve perdas significativas.

A companhia ressalta que todo o seu complexo industrial instalado na capital amazonense está apropriadamente segurado em “grande companhia” do segmento.

“Os estoques de produto acabado localizam-se em galpões diferenciados e esses produtos serão liberados para faturamento tão logo as autoridades terminem esta fase de seu trabalho”, aponta o comunicado.

A destaca ainda que sue Centro de Distribuição de peças de reposição está instalado na cidade de Itajaí (SC) e que o fornecimento desses itens está ocorrendo normalmente.

Fonte: Em tempo

 

Top